Escola sem partido: direita coloca país na máquina do tempo.

Já assistiram ao filme “Ágora”?

Interpretada pela brilhante Rachel Weisz, a história relata a vida de Hipátia, filosofia e professora em Alexandria, que dedica toda a sua vida unicamente ao estudo, filosofia, matemática, astronomia, procurando entender o movimento da terra em torno do sol.
(http://www.adorocinema.com/filmes/filme-134194/).

A história, real, se passa no Egito entre os anos 355 e 415 d.C., e revela como foi dura a vida da filósofa que nunca pensou em se casar, se recusou a se converter ao cristianismo e que não pensou duas vezes em contrariar a aliança governo+religião para defender um ensino laico, uma filosofia crítica, o papel das ciências a serviço do progresso e da sociedade.

Por conta de sua postura, Hipátia foi acusada de bruxaria, esfolada viva e apedrejada.

Pronto.

Agora pode voltar para 2018 e refletir sobre uma sociedade que, 1600 anos depois de Hipátia, coloca o poder punitivo do Estado em prol de uma visão religiosa e volta a perseguir mestres, educadores e pensadores. Bem-vindo à era da ignorância orgulhosa.

https://www.otempo.com.br/cidades/mp-aju%C3%ADza-col%C3%A9gio-santo-agostinho-por-ideologia-de-g%C3%AAnero-em-aulas-1.2072705

https://www.gazetadopovo.com.br/educacao/mp-entra-com-acao-contra-colegio-por-ensino-de-ideologia-de-genero-806o70kpd3wmi262lcnfq1lv5/?utm_source=twitter&utm_medium=midia-social&utm_campaign=gazeta-do-povo

Compartilhe nossa pagina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *