O que querem os fracassomaniacos dessa vez?

antipt

A mais nova fonte de reclamação dos eternamente insatisfeitos com a democracia é reclamar porque o Governo Dilma decidiu tomar uma série de medidas que se encaixam como uma luva num programa econômico que eventualmente seria implementado por Aécio Neves em caso de vitória. As criticas passam pelo aumento da taxa de juros, os reajustes da energia, o anuncio das reduções dos subsídios aos bancos públicos e o mais recente aumento do preço da gasolina.

Tudo o mais somado e analisado, as medidas de fato não se enquadram no que parece ser o plano de governo do PT. Não seria o caso então dos antipetistas estarem aplaudindo e a militância petista protestando na frente do Planalto?

Ai voce pode alegar:”Ah, mas era pra ela ter anunciado as medidas antes das eleições e não agora. É estelionato eleitoral !!”

Bom, com este argumento você ha de convir que sua queixa não é contra as medidas em si e sim porque ingenuamente acreditava que o PT fosse facilitar ao máximo a vida do PSDB nas eleições, como se uma disputa eleitoral fosse um conto de fadas de Hans Cristhian Andersen.

Se a sua reclamação reside no fato do Governo Dilma nunca ter tido que iria adotar tais medidas e agora decidiu pô-las em prática, é prudente relembrar os sinais emitidos pelo governo antes de concluir de forma tão rasa.

O Palácio do Planalto nunca disse, e nenhum governo minimamente sério diria, que nunca mais aumentaria os juros para combater a inflação. Talvez a grande grita seja quanto ao ritmo ou intensidade do aumento e de fato, o Banco Central do Brasil surpreendeu o mercado ao elevar a taxa Selic em 0.25 pontos percentuais, a ponto de, pasmem, fazer a oposição acusar o Governo de ter os juros mais altos do mundo. Nada mal pra quem um dia carregou SELIC de 45% nas costas. Os idiotas definitivamente perderam o escrúpulo.

No que tange aos subsídios dados pelo Governo Central via BNDES (créditos ao setor produtivo por meio do Programa de Sustentação do Investimento -PSI a juros reais negativos), os mesmo já vem caindo há um bom tempo desde o pico de R$ 200 bilhões e hoje este saldo não chega a R$ 90 bilhões. Proximo ano tudo indica que continuará em queda livre. Não crie expectativas de redução do volume destinado ao Minha Casa Minha Vida. Em time que está ganhando não se mexe, é a tônica do programa.

Quanto ao reajuste da tarifa de energia, os reclames apontam para os verdadeiramente altos indices de reajustes de preços. De fato, suportar incrementos de 17%, 24% e até 34% como foi o caso da Copel no Paraná é pra tirar qualquer cidadão do sério, contudo, que culpa tem este ou qualquer outro governo por cumprir rigorosamente o que está previsto nos contratos de privatização das distribuidoras desde meados anos 1990?

Que culpa tem o PT por ser obrigado a defender a validade de repasses mastodônticos de aumentos cada vez que ligamos as termoelétricas? E olha que estas térmicas estão ai pra isso mesmo: para serem usadas e pagas a fim de não passar por outro vexame mundial como o apagão de 2001.

Por fim, o ‘catastrófico’ aumento de 3% da gasolina. Palhaçada sem tamanho esse aumento médio de R$0,03 em cada litro do combustivel. Bom, todo aumento de combustivel deveria ser a oitava maravilha do mundo pra quem tem ações da Petrobrás, não? Isto significa em ultima escala, mais caixa, menos endividamento e maior rentabilidade para as empresas de energia, em outras palavras, um orgasmo ideológico pra quem é neoliberal.

E porque diabos os que reclamam da queda das ações da Petrobrás ainda reclamam? Talvez porque o Governo Federal não tenha cometido ainda (e espero que não copie nunca Aécio Neves neste ponto) a insanidade de atrelar ao dólar e ao barril de petróleo um produto com custos de produção eminentemente locais, em real, e que não tem nada a ver com a familia real saudita.

Como se vê, com um pouco de tempo, serenidade e menos calor eleitoral, percebe-se que boa parte das criticas são infundadas, principalmente porque seriam quase que integralmente adotadas pelo PSDB em caso de vitória e tenha certeza: se nossa história econômica estivesse sendo pintada neste momento com cores azuis, o que mais iriamos ler eram comentários do tipo “Ah, finalmente alguem teve coragem de tomar as medidas que estavam sendo evitadas” ou “São medidas dolorosas, mas extremamente necessárias para corrigir os erros cometidos pelo PT ao longo de anos”.

Como estamos diante de um governo reeleito de forma legitima e democratica, tudo parece não passar, portanto, de choro de perdedor.

Compartilhe nossa pagina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *