Se não ajuda, pelo menos não atrapalha.

Henrique Meirelles vai conseguindo o impensável para quem lidera o dream team da economia brasileira: piorar ainda mais a situação economica herdada.

As contas públicas dos Estados e Municipios estão em frangalhos, a divida pública dos entes subnacionais nao pára de subir, a Lei de Responsabilidade Fiscal é espancada em praça pública com a total conivência e omissão dos Tribunais de Contas de todo o pais e o que faz o Governo Federal?

Suspende a cobrança mensal das dívidas pactuadas nos anos 90, libera orçamento para os governadores gastarem ainda mais e, ao exigir contrapartidas a tantas benesses, deixa de fora de qualquer controle mais rígido a conta pública que mais tem crescido e impactado nos resultados fiscais dos governos – a despesa com pessoal.

Ao permitir que o Ministerio Publico, o Judiciário, Tribunais de Contas e Defensorias Públicas continuem contabilizando beneficios e vantagens funcionais das autoridades como se não fossem gastos com pessoal e, ao dar carta branca para que governadores reajustem as suas folhas de pagamento sem que estes gastos sejam limitados pela futura PEC das despesas públicas, Meirelles e sua equipe abrem mão de todo e qualquer esforço fiscal para reverter a tendência verificada até então e pra piorar, ainda abrem mão de receitas fiscais importantes para redução do déficit primário do Governo Federal.

Resumo da ópera: mexeram para piorar.

Melhor seria se tivessem ficado quietos.

Compartilhe nossa pagina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *